sábado, 12 de janeiro de 2013

MAIO DE 68



Sem me lembrar de grande parte do discurso: a objectividade da expressão “sentido de único”, de Almada Negreiros, o envergonhado são-tomense. Li algures nos últimos meses que o maio de 68 – se não dito com esse propósito, assim interpretei – foi um fenómeno bem mais importante para o mundo da publicidade do que para o mundo que nos permite.

Sem comentários: