quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

A ESCRITA, A DOR E UMA POSSÍVEL MUDANÇA DE TEMPO



A escrita enquanto dor
pode demorar.
Para dores interiores,
ao nível dos tendões, duas
ou três horas consecutivas, com toda
a ferocidade,
são do mínimo suficientes:

a memória de uma queda
que deixou marcas
nos ossos e agora
que escrevo
não me deixa mentir.

Sem comentários: