terça-feira, 11 de dezembro de 2012

MINA DO PINTOR – NOGUEIRA DO CRAVO



Vai, Carlos!



Pintar chaminés de uma mina alcalina abandonada
é sem dúvida o melhor recorte de céu
que alguma vez podemos esperar, para além da paciência
das mulheres e da ânsia de calor no inverno,
um pequeno lapso de espera entre o fim da tarde
e o início da noite, nada mais podemos pedir então
do que grandes exposições nossas aos murmúrios da vida
e talvez um charro ou outro, um cigarro, para,
das contagens da noite, nos aproximar
(confessores) do calor entretanto perdido pelas estrelas.
Para conseguir não basta querer, e, esperar,
como bem sabemos, não é suficiente. Mais
do que bater o pé, e às máquinas não enganam,
é preciso experimentar a vida, ou até, por vezes,
asfixiá-la – das chaminés escolhidas para abstrações possíveis.

Sem comentários: