terça-feira, 10 de julho de 2012

DO QUE SOU


Neste corpo
em que a vida já anoitece
vivo eu
Barriga caída e careca
Poucos dentes
E eu dentro
como um condenado
Estou dentro e apaixonado
e estou velho
Decifro a minha dor com a poesia
e o resultado é especialmente doloroso
Vozes que anunciam: aí vêm as angústias
vozes quebradas: já passaram os teus dias

A poesia é a única companheira
acostuma-te às suas facas
que é a única

Raul Gómez Jattin  

Sem comentários: