quinta-feira, 14 de junho de 2012

OS POETAS E O PODER

.
.

“Com a cumplicidade de” Enrique Falcón


Perfilam com palavras
o silêncio. É esse o problema,
das palavras o silêncio
e do silêncio a impotência.

Não ladram. E, se ladram,
não ladram: dizem
que ladram,
mordem as próprias mãos,

usam-nas como patas;
de trela
extensível
passeiam pulguentos e fofos.

Os seus donos,
longínquos, trabalham
ocupados
no nosso próprio futuro.

E eles não ladram, cainham.
.
.

Sem comentários: