sexta-feira, 22 de junho de 2012

A BOLHA DO MEXIA

.
.

Viver dentro da Bolha do
Mexia até deve ser fácil:
não falando de hemorróidas,
vive ele como um menino
bonito (?!) que nunca saiu
do seu meio e que, distante
da realidade, acredita ser
um gentleman inglês. Até
vos digo mais: o Mexia
só não é um novo Dantas
porque um outro Dantas
é meu amigo e porque, feliz,
nunca lhe cheirei o hálito.
Para mim, muito sincera
mente, o Mexia não passa
de um daqueles cães
aristocráticos vitorianos
de 5ª que só apanham caça
já morta. Trocaria, com todo
o gosto, as suas casotas
pela minha, e não precisaria,
falando por mim, ostentando
pedigree mas não miopia
genética, de reaprender a respirar.
.
.

Sem comentários: