quinta-feira, 31 de maio de 2012

SIMPLES, HUMANO E BELO

.
.

Eu amo-te como um homem ama uma mulher que nunca tocou,
que só lhe escreve, e guarda dela poucas fotografias. eu podia
ter-te amado mais se tivesse sentado num pequeno quarto
a enrolar um cigarro e a ouvir-te mijar no quarto-de-banho,
(…)

Charles Bukowski
(trad. Manuel A. Domingos)

Sem comentários: