sábado, 19 de maio de 2012

5.

.
.

Levanto-me do calor para uma talhada de melancia
fresca. Foi colhida há pouco na horta vizinha,
juntamente com feijões para a sopa, pimentos para
a salada e courgette para fritar. Como o coração da

melancia e ofereço as cascas à porca Rosita, companhia
nas traseiras dos aposentos. O mar foi à grelha. Fico
só, durante alguns minutos, em meditação vertical.
Se Buda não cruzasse as pernas, teria o Tibete melhor

sorte? Se Cristo não perdoasse, saberiam os cristãos
dos crucificados? Se Maomé fosse à grelha, saberia
a carne de porco? Se as vacas não fossem sagradas,

haveria fome na Índia? Se os judeus andassem sobre
as águas, precisariam de terra? Deito-me. Fecho
os olhos. Prometo voltar a acordar para o pesadelo.

Henrique Manuel Bento Fialho,
Rogil

Sem comentários: