sábado, 7 de abril de 2012

UM SACO DE PAPEL

.
.

Não há nada que um livro não faça,
caso ajudes, por outro. É
simples, com mão tua e engenho
um livro de caca pode ser anulado por exemplo
por outro, contraindicativo,
como nos ensinou o meu não-avô
no ano de mil novecentos
e oitenta – o maior de todos os patriarcas.

Podes pôr, bom ou mau, um livro
num saco de papel, perguntar
ao segurança posso? e sair satisfeito
minutos depois com mais dois ou três livros.

Um muito obrigado, enfastiante
Kristeva, obrigado Genette,
e viva as grandes e gratuitas superfícies.
.
.

Sem comentários: