sábado, 14 de abril de 2012

REALIDADE / FICÇÃO / ACREDITAÇÃO

.
.

O gosto pela ficção, como sabemos, faz-se sempre com um pé na realidade. Às vezes, como passarei a expor, até com os dois. Um homem culpado foi absolvido, no fim do seu caso, anos e anos depois de ter sido dado como suspeito de uma infinidade de crimes, e, à saída do tribunal, relativamente ciente dos crimes que cometeu, fala da sua honra e da sua inocência e até sobre a verdade, ou a falta que esta faz, na justiça. Acredita piamente no que diz. Mas um outro, que foi condenado injustamente por algo que desconhecia, também.

Sem comentários: