quarta-feira, 18 de abril de 2012


A optimização da linguagem para uma maior efectividade, utilitária ou não, aparentemente, não é um mau princípio. Mas será que, por exemplo, o ensino de teoria da literatura ou da linguística não é, efectivamente, mais utilitário do que, na concepção dogmática da teoria, socialmente funcional? Precisamos de comunicar melhor mas, antes de tudo, reprogramar os princípios e os meios para atingir os fins, os vigorantes e os desejados.

Sem comentários: