quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Se o teu peito, cheio, disposto a receber
a minha cabeça, vazia,
ma deixasse assim encostar,
as tuas mãos delicadas e dispendiosas,
distraídas na minha face,
evocar-me-iam a paz
impossível e o absoluto.
.
.

Sem comentários: