quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

ALL THAT JAZZ

.
.
Chegamos já tarde à catapulta era
do jazz. A erudição tomou-lhe conta, é agora
um bisturi de corte demasiado preciso
e detalhado que nos metralha as noites
acompanhados pelo dourado de uma cerveja
que não morre. As letras não mentem. Lá longe
– numa américa velha como a que depois
se veio a confirmar –, os músicos foram sucumbindo
ao vício, vendidos à placidez de uma geração
símbolo; a uma nação bem esforçada
e casada com a guerra e com o sucesso.
.
[repescado e reformulado]
.
.

Sem comentários: