quarta-feira, 31 de agosto de 2011

SISTEMA DE VALORES

.
.
Não domino
a certeza
do dinheiro. Desconheço-a,
de facto. Mas sei
que a incerteza,
como nota de rodapé, é a minha sina,
o meu signo diário.

Uma promessa desenvolta
que me obriga à vida
e ao gosto
pela decadência; sem algum
princípio ou algum fim
que não o de sempre

– a certeza de que a miséria,
quando quer, não é somente
não precisar de dinheiro e tudo o resto
logo de seguida.
É muito mais do que isso.
.
.

Sem comentários: