terça-feira, 12 de julho de 2011

A MINHA CIDADE

.
.
Discuti hoje, a propósito de uma manifestação no bairro madrileno Lavapiés, o sentido de nacionalidade ou o desapego a ela. Conclui muito naturalmente que, mais do que de um país, sou de uma região; e, mais do que de uma região, do que uma relação de espaço geográfico (pois como princípio não deve ser fim), o que me apega ao meu meio é a minha relação espácio-temporal com ele. As memórias e a relação intrínseca do meu corpo com aquilo que me faz e vai fazendo. Nos bons e nos maus momentos.
.
.

Sem comentários: