quinta-feira, 30 de junho de 2011

E de cada vez
que te vejo
te peço: não me
olhes – fazes do presente
perpétuo
e dos meus olhos um avesso.
.
.

Sem comentários: