terça-feira, 21 de junho de 2011

DA TRISTEZA

.
.
Morrem uns atrás
dos outros, cada um
na sua vez. Familiares, amigos,
poetas, animais, escritores.

Exemplares: heróis
ou anti-heróis sanguinolentos
de um percurso que tarde
cessará. Já percebi

que custa, nos primeiros
tempos. Mas, saudades,
muito sinceramente,
só tenho dos vivos.

Principalmente
em tempos mortos.
.
.

Sem comentários: