quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

TESTAMENTO VITAL

.
.

Para quando eu morrer:

É este
o meu testamento.

Hoje que falsamente morri
mais um pouco,
escrevo em jeito de inverosímil
nota o meu suicídio.

Mais um entre centos
testamentos.

Neste tipo de assuntos
é mesmo assim. 

Vale pelo menos saber
que o sentimento
de perda
pertence à continuidade.

Saber que, atrás da morte
vem sempre a vida. 
.
.

Sem comentários: