quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

CITAÇÕES

 .
 .

O problema das citações raramente está na perspectiva, mas está, porém, na passível generalização que com ela se pode criar. Por isso é que uma citação contextualizada noutro tipo de discurso, de ideia, adquire quase sempre outro caminho. Isso fascina-nos, é um facto; mas não se pode crer com isso – faz-se isso há milhares de anos – em verdades absolutas. Cada frase deve ter um contexto e parece-me que apenas a criação tem legitimidade para usá-las enquanto objectos despoletadores. Contrapor contra este princípio, por mais contraditório que seja, é ir contra a própria liberdade individual de expressão. Ou se deixa a citação no seu contexto original ou se cria outro que se alimente dela. Generalizar, nunca. Dogmatizar, neste assunto em concreto, é privilegiar as folgas, nas rodas dentadas, do mecanismo a que chamamos semiótica.
.
       

Sem comentários: