terça-feira, 30 de novembro de 2010

Eram manhãs, rompiam do nevoeiro,
atravessando o frio a caminho da faculdade,
quando no fundo, nas alturas das obras,
enormes guindastes abriam os braços.

Pedro Mexia,
Vida Oculta
.
.

Sem comentários: