terça-feira, 26 de outubro de 2010

PELO MENOS ISTO

.
.

Temos essa incógnita
que corresponde ao escasso
estereótipo das pessoas sinceras
que não se abrigam
no hábito
para formalizar amizades.

Não escondemos, nenhum
de nós, o orgulho
perigoso e sombrio
que nos escorre no corpo,
principalmente quando dos outros
o medo se desvia

para ouvir o som dos espelhos
que partem; a imagem
que se insinua
desavergonhada:
mas também de sorriso
nos lábios.

Não gostamos ambos
das obrigatoriedades do mundo,
talvez por isso
o sarcasmo, a ironia; as elegias
vocalizadas
em homenagem à rudeza
das gentes da nossa terra.

Sabemos e compreendemos
que a brejeirice,
as caralhadas, são restos
de insubordinação desviante,
pedaços
.............últimos do que sobrou.
.

1 comentário:

josé ferreira disse...

caralho! assim é que se fala!

forte abraço pá!