domingo, 6 de junho de 2010

DIAS ÚTEIS

.
. 
Quando chego,
da lembrança, mais velho,
o passeio um regresso
exterior da noite, nada de absoluto
me chega do interior das estrelas.
De manhã (ouvi no rádio) um homem relatava
o estado do céu para os próximos dias.
Inverno, acontece isto todos anos.
O vidro que geme, as gotas que correm,
uma carrinha desgovernada;
a paisagem, um tapete sob os olhos
pastosos da manhã;
não são mais do que memórias,
vividas
e entrecruzando-se no trânsito. 
.

Sem comentários: