domingo, 30 de maio de 2010

 .
 .
A memória mais antiga:

Um joelho rasgado,
A primeira rodada na bicicleta verde,
O inesgotável tempo,
Uma ida à feira das cebolas e outra à feira dos santos,
A minha mãe muito jovem e o seu sorriso, o quintal, as laranjas,
Os meus amigos, a minha avó e os bifes só para mim,
O verão,
O tanque,
O calor,
As vindimas.

E parecia não haver amor.

Rui Pedro Gonçalves
.
.

Sem comentários: