quarta-feira, 14 de abril de 2010

A INFÂNCIA E A MAIORIDADE (EDIÇÃO BILINGUE)

 .
 .


Sempre me
esforcei por ser um enfant
terrible, excepto em casa.
Cresci naturalmente
e a minha mãe nunca soube
falar francês.  
.
. 

Sem comentários: