quarta-feira, 24 de março de 2010

OS GUARDADORES DE REBANHOS

 .
 .
Para quem não sabe, na minha rua existe um Centro de Ajuda Espiritual. Para quem não sabe, é só mais um armazém alugado pela Igreja Universal do Reino de Deus. E, para quem continue a ler em branco, a isto, por muito que custe e por muito tortuoso que seja, pode-se chamar igreja, uma nova forma de religião que se serve do passado, da tradicional, para dar continuidade à mesma merda do costume: aproveitar a (pouca) esperança das pessoas na vida, o desespero, para servir propósitos maiores não necessariamente divinos. Nota-se isso, por exemplo, quando um dos pastores logo de manhã se atrasa. Se deus nosso senhor fosse assim tão misericordioso, não deixava magotes de pessoas encostadas e abrigadas debaixo de prédios, em portais, a tentarem-se abrigar de chuvas torrenciais, enquanto gajos como eu, profundamente ensonados, em modo transcendência, passam a olhar para tudo aquilo e a tentar perceber o porquê do trabalho e o de tanta gente aproveitando as brechas na rua às sete da matina. Se existisse, aliás, não obrigava boas pessoas como eu a sair da cama tão cedo. Mas factos são factos. Sempre que saio de casa, de manhã, vejo magotes de pessoas a correrem para o centro - desde crianças acompanhadas pelos pais, a velhos acompanhando as suas fiéis bengalas. Ao fim de semana é ao contrário, vejo camionetas e mais camionetas, gente de todas as formas e feitios e cores e credos também, enquanto procuro a cama já em modo barco e a velocidade cruzeiro, mesmo sabendo de antemão que tenho ainda que entrar no meu prédio a pensar que para cima, para o meu sótão, todos os santos ajudam, principalmente São Bernardo e a sua pipa de pescoço, faça chuva ou faça sol; frio ou calor. Tudo isto, apesar de profundamente pitoresco, é assustador, e nada melhor do que uma reportagem, passada na SIC, para comprovar que um pavilhão com capacidade para quase três mil pessoas, no porto, está a ser construído para não receber os jogos de futsal do Futebol Clube do Porto até porque (a merda d)o FCP não tem essa modalidade.
.
.    




.
.

Sem comentários: