segunda-feira, 29 de março de 2010

NA AUTO-ESTRADA

 .
 .
Ainda posso perceber
Esses miúdos nos viadutos
Que atiram pedras aos carros da auto-estrada.
É um gesto eficaz
Que matou alguns caixeiros-viajantes,
E até famílias inteiras,
É pura malvadez
E o mundo precisa de pureza.

Mas como se justificam esses que nos acenam
Com alegria ao passarmos?

em O Mundo Clamoroso, Ainda 
de Manuel Resende 
.
.

Sem comentários: