segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

O ESQUECIMENTO

« (…) esquecer é depois
esta inquieta maneira que nos fica
de debruçar as ruas, de acender
as luzes de repente e respirar
a tranquilidade do terror adiado.»


Poemas, António Franco Alexandre